Ódio

O ódio é um sentimento intenso de raiva. Traduz-se na forma de antipatia, aversão, desgosto, rancor, inimizade ou repulsa contra uma pessoa ou algo, assim como o desejo de evitar, limitar ou destruir o seu objetivo. A palavra tem origem no latim odiu. O ódio pode se basear no medo a seu objetivo, já seja justificado ou não. O ódio é descrito com frequência como o contrário do amor, ou a amizade; outros como Elie Wiesel, consideram a indiferença como o oposto do amor. O ódio não é necessariamente irracional. É razoável odiar pessoas ou organizações que ameaçam ou fazem sofrer. O ódio, tal como o amor, alimenta-se com as menores coisas, tudo lhe cai bem. Assim como a pessoa amada não pode fazer nenhum mal, a pessoa odiada não pode fazer nenhum bem. O ódio tem melhor memória do que o amor. A grande arte exige amor e ódio. O ódio revela muita coisa que permanece oculta ao amor. Lembra-te disso e não desprezes a censura dos inimigos. O ódio é o prazer mais duradouro, os homens amam com pressa, mas odeiam com calma. O amor está mais perto do ódio do que a gente geralmente supõe. São o verso e o reverso da mesma moeda de paixão. O amor afirma, o ódio nega. Mas por cada afirmação há milhentas de negação. Assim o amor é pequeno em face do que se odeia. Vê se consegues que isso seja mentira. E terás chegado à verdade. Nada une tão fortemente como o ódio – nem o amor, nem a amizade, nem a admiração. Não se odeia quando pouco se preza, odeia-se só o que está à nossa altura ou é superior a nós. O olhar de quem odeia é mais penetrante do que o olhar de quem ama. O que precisamos é de ódio, dele nascerão as nossas idéias. O que as pessoas querem é o ódio, o ódio, nada mais do que o ódio, em nome do amor e da justiça, odeiam. O ódio espuma. Domine seu ódio e terás o mundo. O amor nos deixa fraco, o ódio nos fortalece. Posso ter todo ódio do mundo por você, mas nunca saberás que ele existe. Homens ofendem por medo ou por ódio. Por fim, não levo ninguém a sério o bastante para odiá-lo.

Texto escrito por eles:

Wikipédia • Honoré de Balzac • Leonardo da Vinci • George Byron • Érico Veríssimo • Vergílio Ferreira • Anton Tchekhov • Friedrich Nietzsche • Paulo Francis • David Lawrence • Jean Genet • Maquiavel • Bertold Brecht • Zuenir Ventura • Wilian Jañez • Profanus • Cristhoffer (…)

Nenhuma palavra minha neste texto, apenas junção de frases sobre ÓDIO e um pouco de amor.

@_jotinha

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Variados

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s