Arquivo do mês: maio 2011

O assunto mais fácil

É sempre assim, quando não temos sobre o que falar, discorremos sobre sentimentos, falamos sobre o assunto mais fácil: o amor.

Quer argumento que flui com mais facilidade? Até para quem não acredita no amor fica simples lidar com o assunto e abordar os motivos que o fizeram não acreditar nos sentimentos mútuos entre duas pessoas. Sei apenas que hoje acordei assim, repleto de idéias e sentimentos pelo amor, por esse pequeno diabinho de asas que admitimos como “cupido”.

Ser consumido pela paixão é como acordar nos dias frios e furtar um pouco mais de tempo em nossos cobertores, para não perder aquela migalha de sonho bobo e sem sentido que estávamos tendo até o detestado despertador tocar. Só para nos apetecer ficar ali por mais cinco minutos envoltos naquela sensação de não estar nessa realidade.

Ser consumido pela paixão é como olhar para o dia que amanheceu e sentir o despertar de algo valioso dentro de si, como uma nota musical que se destaca ao fundo da vida e cresce tão devastadoramente que se torna impraticável não dançar pela rua como um louco demente que nem mesmo se importa! E ver alguém te olhando e ser inundado por uma timidez que nunca foi sua, sentir o rosto queimar e perceber-se como o mais idiota que caminha pela face da terra.

Ser consumido por sentimentos é pensar o dia inteiro e dirigir as mais chulas indiretas pelas redes sócias na esperança de que o mesmo sentimento desperte no ser desejado ao se identificar com suas palavras. E ficar ali, por horas esperando uma simples resposta ou indireta que jamais chega.

Hoje acordei assim, sem ter sobre o que dizer e determinei falar do mais fácil: o amor. Hoje eu acordei assim, transpirando todos os sentimentos que de tão desmedidos se esvaem de mim para que eu os possa padecer um pouco mais.

@dimorales

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Variados

DESENTUSIASMO

A vida real entrou anunciante com um chute na porta, como uma estrela de cinema sedutoramente mortal, e te preenche a face com uma tapa de puro terrorismo. Ela é sempre assim, te envolve em manto de completa sedução, te rasga o rosto em sorrisos tórridos nas noites quentes e suadas regadas em drinques abastecidos de alegria. Ela é cruel, fria e perversa ao te encher de sentimentos prazerosos de esperança e quando seu corpo se prepara para o tremor de atingir o céu em orgasmo ela, bruta, puxa o tapete e se delicia ao ver sua careta de surpresa. E ela fica ali, sedutora com seu decote obsceno e a cara travestida em palhaço macabro de algum livro de Stephen King, te mandando a real bem cuspida na cara, e a verdade fica ali grudada em gosma nas lentes dos seus óculos olhando pra você. Te desafiando. Tudo que você vai conseguir fazer é se deixar esvair em aflição. Ver sua inspiração transpirar pelas pontas de seus dedos e por mais que você tente juntar as palavras da sopa de letrinhas que se formaram no chão, tudo que vai conseguir fazer é escorregar, tropeçar na própria dor que te devora e te engole de tal forma que se te perguntarem você apenas saberia dizer que dói, nada mais. A vida real é assim. Se não te avisaram antes, sinto muito. Seja bem-vindo a bordo desse cruzeiro prestes a afundar, tome seu lugarzinho reservado na multidão e boca fechada.

 

@dimorales

Deixe um comentário

Arquivado em Variados

Crônicas de Um Cotidiano Infeliz V

Venho dividir com vocês hoje um momento totalmente traumatizante da minha vida, minha iniciação sexual.

Eu, nos meus 16 anos com toda minha vida de NERD deslocado e autista reprimido, comecei a namorar uma menina, que em hipótese alguma poderia ter algum vestígio de beleza!(O.o), porém eu, na minha estranheza anorexamente magra e para piorar com cabelos compridos e óculos fundo de garrafa, jamais poderia me dar ao luxo de reclamar.

Pois lá fomos nós dois para meu apartamento num fim de tarde quando minha mãe havia saído e pá! Duas bestas virgens sem ter ideia de como começar, o coração batendo praticamente fora do peito, a adrenalina rasgando as veias e todo aquele blá blá blá de praxe que todo mundo já conhece. Começamos então num romance incrivel, as velas iluminando o quarto, as juras de amor que todo adolescente NERD é especialista em despejar na frente do espelho! A coisa foi esquentando e eu descendo a cabeça pelo corpo dela, um pouco mais e mais até chegar naquele ponto em que todo homem tanto quer estar. Antes mesmo que eu pudesse ter qualquer pensamento solido, ela me agarrou pelos cabelos e jogou minha cabeça contra seu “elixir” com força e vontade! “Elixir” só se fosse TÓXICO!!!!

Aqueles lábios gigantes devoravam meu rosto por completo, me assustei de imediato com a textura e o cheiro daquilo, não podia ser normal! Juro por tudo que eu podia sentir que a filha da puta não lavava aquilo direito ao menos a uns 3 meses, ou muito mais! Entre ânsias de vomito eu consegui me desvencilhar das garras dela totalmente embriagado entre as lágrimas de ódio e rancor, fui subindo lambendo a barriga dela e esfregando meu lindo rostinho na tentativa frenética de me limpaaaaaaaaaar!!!! E em meio tudo aquilo eu rezava a DEUS para que existisse alguma coisa errada e que não fosse comigo (DEUS NÃO ME FAÇA GAAAY!!!!)

Naquele momento eu desejei de verdade uma invasão de zumbis fanqueiros mutantes com fome de bucetas mal lavadas!

Conseguindo me recompor (e obviamente reanimar o meu brinquedo que estava completamente escondido em pavor… por pouco não faço uma cirurgia natural de troca de sexo!) recomeçamos os jogos e pá! Camisinha na mão, tudo preparado, aquele cheiro me dando náuseas. Pensava realmente que todas aquelas piadas sobre os odores femininos fossem uma grande calunia contra o sexo frágil, apenas pensava até aquele momento rasgadamente terrorista contra minha pessoa.

Mesmo tremendamente assustado eu continuei minha missão, a passagem de menino para homem.

Resumindo: ela começou a notar meu desespero quando eu, sem perceber, comecei a rezar em voz alta (Deus, por que eu???) e a cada movimento aquele cheiro crescia, percebi sangue se espalhando por mim, pela cama…desmaiei!

Fui acordado por aquela besta terrorista que me explicou mais tarde na maior #putafaltadesacanagem que ela estava menstruada! O.o

Imaginem meu alivio!

@dimorales

USE SEMPRE CAMISINHA

2 Comentários

Arquivado em Variados