Arquivo da categoria: Variados

The walking bunny #2

Bullyng

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Devaneios, Humor, Variados

The walking bunny #1

 

Deixe um comentário

Arquivado em Devaneios, Humor, Variados

“Uma lente sobre a mulher Urbana”

Ela retoca o batom, amarra o salto alto e sai. Da janela do apartamento o dia clama por sua presença. Nas calçadas da metrópole suja, seus passos são esperados. Os poetas urbanos recitam versos, os profissionais noturnos batem seus cartões salariais, as vítimas automáticas aguardam a chegada da mulher dos cabelos aos ventos que assobiam seu nome. Os prédios se agigantam a cada tom do desfile de passos que ela marca pelo caminho. E ele ali escondido atrás das lentes da câmera que registram a musa amada em carinho platônico de deseja-l

O relógio aponta os números ideais para o início da persuasão feminina. E os pertencentes ao mundo agarrado se rastejam na gosma que sai de seu caminhar. E o dia surge nos vidros que refletem e marcam as lentes que a vigiam, em indiscreta paixão. E quando ela para e assiste um romance que dança pelas letras tatuadas nas páginas dos livros a vida para e assiste outra vida.

Diante da impossibilidade de continuar a crônica vivida, o homem que a ama em vigia guardo a luneta, toma um copo de leite e vai se deitar. Quem sabe assim nos sonhos a mulher exista em suas mãos que não se cansam das lentes.

 

@dimorales

( vamos nos declarar…viver o amor seja ele puro, impuro ou proibido… ame e se revele)

Deixe um comentário

Arquivado em Devaneios, Variados

O assunto mais fácil

É sempre assim, quando não temos sobre o que falar, discorremos sobre sentimentos, falamos sobre o assunto mais fácil: o amor.

Quer argumento que flui com mais facilidade? Até para quem não acredita no amor fica simples lidar com o assunto e abordar os motivos que o fizeram não acreditar nos sentimentos mútuos entre duas pessoas. Sei apenas que hoje acordei assim, repleto de idéias e sentimentos pelo amor, por esse pequeno diabinho de asas que admitimos como “cupido”.

Ser consumido pela paixão é como acordar nos dias frios e furtar um pouco mais de tempo em nossos cobertores, para não perder aquela migalha de sonho bobo e sem sentido que estávamos tendo até o detestado despertador tocar. Só para nos apetecer ficar ali por mais cinco minutos envoltos naquela sensação de não estar nessa realidade.

Ser consumido pela paixão é como olhar para o dia que amanheceu e sentir o despertar de algo valioso dentro de si, como uma nota musical que se destaca ao fundo da vida e cresce tão devastadoramente que se torna impraticável não dançar pela rua como um louco demente que nem mesmo se importa! E ver alguém te olhando e ser inundado por uma timidez que nunca foi sua, sentir o rosto queimar e perceber-se como o mais idiota que caminha pela face da terra.

Ser consumido por sentimentos é pensar o dia inteiro e dirigir as mais chulas indiretas pelas redes sócias na esperança de que o mesmo sentimento desperte no ser desejado ao se identificar com suas palavras. E ficar ali, por horas esperando uma simples resposta ou indireta que jamais chega.

Hoje acordei assim, sem ter sobre o que dizer e determinei falar do mais fácil: o amor. Hoje eu acordei assim, transpirando todos os sentimentos que de tão desmedidos se esvaem de mim para que eu os possa padecer um pouco mais.

@dimorales

Deixe um comentário

Arquivado em Variados

DESENTUSIASMO

A vida real entrou anunciante com um chute na porta, como uma estrela de cinema sedutoramente mortal, e te preenche a face com uma tapa de puro terrorismo. Ela é sempre assim, te envolve em manto de completa sedução, te rasga o rosto em sorrisos tórridos nas noites quentes e suadas regadas em drinques abastecidos de alegria. Ela é cruel, fria e perversa ao te encher de sentimentos prazerosos de esperança e quando seu corpo se prepara para o tremor de atingir o céu em orgasmo ela, bruta, puxa o tapete e se delicia ao ver sua careta de surpresa. E ela fica ali, sedutora com seu decote obsceno e a cara travestida em palhaço macabro de algum livro de Stephen King, te mandando a real bem cuspida na cara, e a verdade fica ali grudada em gosma nas lentes dos seus óculos olhando pra você. Te desafiando. Tudo que você vai conseguir fazer é se deixar esvair em aflição. Ver sua inspiração transpirar pelas pontas de seus dedos e por mais que você tente juntar as palavras da sopa de letrinhas que se formaram no chão, tudo que vai conseguir fazer é escorregar, tropeçar na própria dor que te devora e te engole de tal forma que se te perguntarem você apenas saberia dizer que dói, nada mais. A vida real é assim. Se não te avisaram antes, sinto muito. Seja bem-vindo a bordo desse cruzeiro prestes a afundar, tome seu lugarzinho reservado na multidão e boca fechada.

 

@dimorales

Deixe um comentário

Arquivado em Variados

Crônicas de Um Cotidiano Infeliz V

Venho dividir com vocês hoje um momento totalmente traumatizante da minha vida, minha iniciação sexual.

Eu, nos meus 16 anos com toda minha vida de NERD deslocado e autista reprimido, comecei a namorar uma menina, que em hipótese alguma poderia ter algum vestígio de beleza!(O.o), porém eu, na minha estranheza anorexamente magra e para piorar com cabelos compridos e óculos fundo de garrafa, jamais poderia me dar ao luxo de reclamar.

Pois lá fomos nós dois para meu apartamento num fim de tarde quando minha mãe havia saído e pá! Duas bestas virgens sem ter ideia de como começar, o coração batendo praticamente fora do peito, a adrenalina rasgando as veias e todo aquele blá blá blá de praxe que todo mundo já conhece. Começamos então num romance incrivel, as velas iluminando o quarto, as juras de amor que todo adolescente NERD é especialista em despejar na frente do espelho! A coisa foi esquentando e eu descendo a cabeça pelo corpo dela, um pouco mais e mais até chegar naquele ponto em que todo homem tanto quer estar. Antes mesmo que eu pudesse ter qualquer pensamento solido, ela me agarrou pelos cabelos e jogou minha cabeça contra seu “elixir” com força e vontade! “Elixir” só se fosse TÓXICO!!!!

Aqueles lábios gigantes devoravam meu rosto por completo, me assustei de imediato com a textura e o cheiro daquilo, não podia ser normal! Juro por tudo que eu podia sentir que a filha da puta não lavava aquilo direito ao menos a uns 3 meses, ou muito mais! Entre ânsias de vomito eu consegui me desvencilhar das garras dela totalmente embriagado entre as lágrimas de ódio e rancor, fui subindo lambendo a barriga dela e esfregando meu lindo rostinho na tentativa frenética de me limpaaaaaaaaaar!!!! E em meio tudo aquilo eu rezava a DEUS para que existisse alguma coisa errada e que não fosse comigo (DEUS NÃO ME FAÇA GAAAY!!!!)

Naquele momento eu desejei de verdade uma invasão de zumbis fanqueiros mutantes com fome de bucetas mal lavadas!

Conseguindo me recompor (e obviamente reanimar o meu brinquedo que estava completamente escondido em pavor… por pouco não faço uma cirurgia natural de troca de sexo!) recomeçamos os jogos e pá! Camisinha na mão, tudo preparado, aquele cheiro me dando náuseas. Pensava realmente que todas aquelas piadas sobre os odores femininos fossem uma grande calunia contra o sexo frágil, apenas pensava até aquele momento rasgadamente terrorista contra minha pessoa.

Mesmo tremendamente assustado eu continuei minha missão, a passagem de menino para homem.

Resumindo: ela começou a notar meu desespero quando eu, sem perceber, comecei a rezar em voz alta (Deus, por que eu???) e a cada movimento aquele cheiro crescia, percebi sangue se espalhando por mim, pela cama…desmaiei!

Fui acordado por aquela besta terrorista que me explicou mais tarde na maior #putafaltadesacanagem que ela estava menstruada! O.o

Imaginem meu alivio!

@dimorales

USE SEMPRE CAMISINHA

2 Comentários

Arquivado em Variados

Figado VS Coração

Texto baseado em fatos reais historia meramente ilustrativa, para ilustrar uma realidade inventada, que durou pouco, muito pouco. Um texto de contradições!

O dia em que eu descobri que no lugar do meu fígado, havia um coração.

Tudo começou há 3 anos atrás.

No alto da minha iniciação alcoólica, eu fui bem mais longe do que todos os meus amigos já iniciados haviam ido, quando fui apresentado pra ela eu nunca mais a esqueci!

A sábia Vodka a quem fui apresentado, vem me acompanhando de lá pra cá, em uma caminhada longa, duradoura e devassa. Nunca fui uma pessoa muito ligada a sentimentos, relacionamentos e nada que implicava na presença de duas pessoas se amando, sempre tive pavor, repulsa e medo, muito medo.

Para mim relacionamentos serviam pra uma coisa, e essa coisa foi a única que busquei durante todo esse tempo.

Na caminhada a vodka me ensinou muitas coisas, ela me mostrou muitas coisas, me proporcionou milhares, entre elas arrependimentos, glórias, vitórias, perdas, amores, ódios, paixões e vidas. O tempo não passa, o tempo continua parado, estático, ali, se você voltar ele vai continuar no mesmo lugar onde o deixou quem passa é a gente, passamos pelo tempo e pensamos que o tempo passa pela gente. Eu não sei bem se tudo que foi dito até aqui vai servir pra você ou te fez entender alguma coisa, eu nunca me importei com os outros, sempre me importei comigo e como eu era para os outros. (??)

E eu continuei passando pelo tempo, destruindo corações, acabando com vidas, transformando pessoas em vampiros e destruindo, destruindo, tudo que eu podia.

Eu nunca tinha escutado o meu próprio coração, por não ouvir, sempre pensei que eu não o possuía, um dia sonhei, acho que aqui começa a minha historia..

Conheci um velho sábio, em uma estrada vazia, em um lugar desconhecido, ele me ofereceu o bem mais precioso que eu podia ter, em troca do meu coração ele me daria um fígado, proposta que imediatamente foi aceita.

Ele me explicou que eu não sentiria nada. Fácil pra mim, eu nunca havia mesmo sentido alguma coisa, mas um dia eu o escutaria. O sentiria na minha boca, pulsaria muito forte, e nesse momento eu lembraria que não o tinha mais, que o tinha trocado, que o tinha deixado.

Eu não me sensibilizei e isso não mudou a minha decisão, o deixei e viajei com o meu novo fígado e a minha companheira, continuei passando pelo tempo, até que cheguei.

Em um novo lugar, conheci novas pessoas, destruí e transformei outras e até ai, tudo continuava normal, mas eu te conheci e esse foi o meu fim!

A sua grande semelhança comigo, me fez me interessar, o interesse, o desejo cresceu, e eu sonhei, sonhei durante muito tempo e o sonho me fazia querer realizar, comecei a acreditar neles e a necessidade de sentir algo apareceu, eu queria mesmo viver aquilo do jeito que todos viviam, eu queria mesmo poder sentir tudo que todos diziam, e a vodka não me ajudou, ela não se despediu, ela me abandonou e comigo, deixou a dúvida, a incerteza, e o arrependimento.

Mas o grande dia finalmente estava próximo, eu iria enfim realizar o sonho, e como o velho sábio me disse um dia, eu ouvi cada batida do meu coração, tentei senti-lo, mas ele não estava ali, a angustia tomou conta de mim, a ansiedade era o meu nome e eu já não me reconhecia mais, eu mudei por você e me odiava por isso…

To be continued..

@_jotinha

“Aventureiro de coração. Quando me inspiro, escrevo. Quando me estresso, passeio. A família me aconchega. O trabalho me enobrece. Tenho amigos. Tenho fome. Vivo.”

2 Comentários

Arquivado em Variados

#Tempoatoa Adverte: Samba-canção deixa barriga roxa

Tudo começou quando eu tinha 15 anos e fui dada pra casamento pro fii do Sr. Vicente por ele te matado a onça que tava cumendo os boi lá da fazenda. O fii do Sr. Vicente é o Nico, ele até é bonito, alto, forte, o único problema dele é que ele é relaxado. Ele tem dinheiro neh, nem precisa ter cuidado cas coisa. É daquele tipão que tem muito dinheiro, mas não faz questão de mostrar, nem pra ele mesmo. Se veste igual um eremita, daqueles que num vê gente há 30 anos, num faz barba a quase 30 também e banho é só uma vez por semana.

O meu sonho de infância era casa caquele príncipe encantado neh, que vem no cavalo branco e me leva pra mora no castelo real, *-* Mas de príncipe o Nico só tem a fortuna, sem contar que ele tem mais que o dobro da minha idade.

A idade nunca foi problema pra mim. Depois do primeiro ano que estávamos morando juntos, já tínhamos experimentado de tudo na cama, Nico fazia sexo como ninguém. Com esse tempo nós criamos certas intimidades, nos aproximamos mais e chegamos ao ponto de eu ter liberdade de comprar cuecas pra ele. De fato eu até achei melhor, Nico só usava as mesmas cuecas, sempre com um furo em algum lugar, ele não ligava pra isso, sempre dizia: A cueca ta debaixo das calças, ninguém tá vendo esse furo. Comprei cuecas Box, sempre adorei homens de cuecas Box. Nico tinha pernas grossas, ia ficar perfeito… ia ficar… se ele tivesse gostado. Me fez comprar samba-canção, 15 delas, achei estranho ele querer tantas, mas logo vi, imaginei que ele iria usar só pra dormir, mas Nico usava aquilo o dia todo. Não dei muita atenção pra isso, afinal, como ele mesmo diz, a cueca está debaixo das calças.

Como eu sou burra, como sou burra. Com toda aquela confusão eu não lembrava que existem mais coisas que eu gostava no homem além das cuecas debaixo da calça. Hoje, 5 anos depois de casada e 2 anos depois que Nico começou a usar samba-canção, o que poderia ter sido uma linda história de amor e sexo acabou. Dois anos usando samba-canção me faz sentir as bolas de Nico na minha barriga na hora do sexo de quatro, eu não agüento mais.

@emanoelsimon

3 Comentários

Arquivado em Variados

Ódio

O ódio é um sentimento intenso de raiva. Traduz-se na forma de antipatia, aversão, desgosto, rancor, inimizade ou repulsa contra uma pessoa ou algo, assim como o desejo de evitar, limitar ou destruir o seu objetivo. A palavra tem origem no latim odiu. O ódio pode se basear no medo a seu objetivo, já seja justificado ou não. O ódio é descrito com frequência como o contrário do amor, ou a amizade; outros como Elie Wiesel, consideram a indiferença como o oposto do amor. O ódio não é necessariamente irracional. É razoável odiar pessoas ou organizações que ameaçam ou fazem sofrer. O ódio, tal como o amor, alimenta-se com as menores coisas, tudo lhe cai bem. Assim como a pessoa amada não pode fazer nenhum mal, a pessoa odiada não pode fazer nenhum bem. O ódio tem melhor memória do que o amor. A grande arte exige amor e ódio. O ódio revela muita coisa que permanece oculta ao amor. Lembra-te disso e não desprezes a censura dos inimigos. O ódio é o prazer mais duradouro, os homens amam com pressa, mas odeiam com calma. O amor está mais perto do ódio do que a gente geralmente supõe. São o verso e o reverso da mesma moeda de paixão. O amor afirma, o ódio nega. Mas por cada afirmação há milhentas de negação. Assim o amor é pequeno em face do que se odeia. Vê se consegues que isso seja mentira. E terás chegado à verdade. Nada une tão fortemente como o ódio – nem o amor, nem a amizade, nem a admiração. Não se odeia quando pouco se preza, odeia-se só o que está à nossa altura ou é superior a nós. O olhar de quem odeia é mais penetrante do que o olhar de quem ama. O que precisamos é de ódio, dele nascerão as nossas idéias. O que as pessoas querem é o ódio, o ódio, nada mais do que o ódio, em nome do amor e da justiça, odeiam. O ódio espuma. Domine seu ódio e terás o mundo. O amor nos deixa fraco, o ódio nos fortalece. Posso ter todo ódio do mundo por você, mas nunca saberás que ele existe. Homens ofendem por medo ou por ódio. Por fim, não levo ninguém a sério o bastante para odiá-lo.

Texto escrito por eles:

Wikipédia • Honoré de Balzac • Leonardo da Vinci • George Byron • Érico Veríssimo • Vergílio Ferreira • Anton Tchekhov • Friedrich Nietzsche • Paulo Francis • David Lawrence • Jean Genet • Maquiavel • Bertold Brecht • Zuenir Ventura • Wilian Jañez • Profanus • Cristhoffer (…)

Nenhuma palavra minha neste texto, apenas junção de frases sobre ÓDIO e um pouco de amor.

@_jotinha

Deixe um comentário

Arquivado em Variados

Mil e um estereótipos

Antes de qualquer coisa que eu escrever aqui, nós vamos concordar que em uma faculdade existe muita gente estranha. Mas e quando esse estranho é o professor? Vou esparrar uma parada aque nessa bagaça. No meu curso só tem professor entranho, mas é tudo sagaz. Não parece, mas é. Eheuheue

Eu posso falar que todos os meus professores são legais. Eu não estou puxando saco até por que eles não lêem meu blog. =p Vendo isso de uma forma geral eu percebi que temos os mesmos estereótipos de professores em todos os cursos basicamente.

Começar com O gente boa, aquele que passa só trabalho em sala, e quando passa algo mais complicado prorroga as datas de entrega até os 49 do segundo tempo ele geralmente já tem uma certa idade, é casado e sente falta do seu tempo de garotão comedor pica das galáxias.

Temos também O sou foda. O sou foda é aquele que realmente é foda e sabe disso. É um dos piores, mas também é com ele que você mais vai aprender. Ele não tem medo de contar seus podres, não se importa em ser visto em lugares tensos, não se importa em falar qualquer coisa, isso por que ele é foda.

Um que sempre tem é O velhinho. Todo curso tem um professor velhinho. Aquele que fala, fala, fala e fala. Só fala! É do tipo que tem um conhecimento féla da puta pra passar e descobriu o pior jeito, o jeito mais “porre” de passar.

Não podemos esquecer de O garotão. Esse tem na faixa de 49 a 59 anos fisicamente e 19 a 29 mentais. É aquele que fala: Brother, colé, sangue bom, tá tranqüilo e pods crer. Essas são gírias típicas de O garotão. Ele passa trabalhos super fáceis e muitas das vezes são práticos. Ele faz isso por que não teve essa oportunidade quando ele fez o curso há 30 anos.

A drogada. Ela é super viajada, conhece milhões de pessoas, milhões de lugares, e tem um certo delay diante de perguntas, ou até sem elas. O.o pra falar. Não necessariamente tem que ser mulher, só mudei pra manter a cota. O próximo é negro.

O invisível. É aquele que ninguém nota. Só descobrimos que ele existe quando sai às notas.

A feia. Essa existe em todas as partes, não tem escapatória. É aquela que é super inteligente, mega gente boa, engraçada pra caralho, mulher perfeita pra casar se não fosse por um problema, geralmente A feia, é muito feia.

Temos O entendido. É aquele que o que você perguntar sobre sua matéria o cara te responde de uma forma que você entende mesmo sem querer. É comum O entendido ter algumas peculiaridades, como uma forma diferente de falar com um sotaque estranho, ou ele pode ter um jeito próprio de pegar no pincel atômico, ou sei lá, um jeito estranho de sentar. Pode ter tudo isso de uma vez também, mas sempre seguido de uma letra que mais parecem hieróglifos.

A gostosa. Essa é rara. Tamanha sua raridade que nunca vem acompanhada de outra qualidade. Gostosa e ponto! Só sabe falar da carreira, do marido e de tudo que fez pra chegar até onde está.

Isso é só o que eu lembrei agora. Esse espécie de ser humano cresce cada vez mais e estão se diferenciando, criando bifurcações em sua evolução. Existem milhares e pretendo catalogar todos eles aqui.

Uma boa noite pra todos vocês.

@emanoelsimon

2 Comentários

Arquivado em Variados