Arquivo da tag: rock

Saiba o significado do nome daquela banda

Sabe aquele dia que você tem mil coisas pra fazer, mas no momento você curti o ócio na internet? Pois é, num desses dias, futucando e futucando nos mais confinados blogs do segmento. Eis que encontro essa lista, mas que lista. Uma lista que fala o significado dos nomes de varias bandas de rock do mundo. Quando digo mundo é porque tem banda pra caralh*. Bandas como:

AC/DC – A irmã de Angus e Malcolm Young, Margaret, criou o nome. Aparentemente ela achou a sigla em um eletrodoméstico, e achou que casava bem com a banda, visto que tinha a ver com eletricidade (AC/DC é um indicativo de corrente contínua e alternada). Depois descobriram que era também uma gíria que designava bissexuais mas já era tarde. São infundadas as versões de que o nome seria uma sigla para Anti-Christ/Dead-Christ (anticristo, cristo morto).

Angra – O nome foi escolhido por duas razões: por ser um nome tipicamente brasileiro (dado à “Deusa do Fogo”) e por parecer o adjetivo “Angry” (em inglês, raivoso).

CPM22 – Segundo o guitarrista Luciano Garcia: “CPM22 é a nossa caixa postal. No início, o nome da banda era só CPM. Daí os caras abriram uma caixa postal que, por coincidência, era de número 1022. Quando olharam, caralho, era Caixa Postal Mil e, se você colocar duas vezes o número dois, fica CPM22. O Wally sempre disse que queria que o nome do grupo não fosse algo que já existe. Queria um nome que, quando o pessoal ouvisse, lembrasse só da banda. Aí funcionou, porque CPM22 é bem a cara da gente.”

Eu não li tudo e não posso comprovar nada do que esta escrito aqui, mas é divertido saber e acreditar. =p

Continue lendo

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Informativos, Música

Uma noite de reveillon

https://i0.wp.com/img13.imageshack.us/img13/5024/umanoitedereveillon.jpg

O reveillon é aquele tipo de rock especial, tão especial que só acontece uma vez por ano, tão especial que as pessoas se mobilizam pra usar roupas de uma cor só, tão importante que não pode chover.

Pra um dia ser mítico ele só precisa ser reveillon e ter planos de encontro com aquela gostosa que te deixa molhadinho. Sim, assim foi meu fim de ano, um encontro com a gata que me faz correr pelas ruas quando está por perto.

Camburi, Vitória – ES. Marcamos de ir pra casa de um amigo pra calibrar antes de ir ver a queima de fogos à beira-mar. O encontro estava marcado há dias antes do reveillon, eu tinha certeza que encontraria com ela. A presença dela marcava o final da noite pra maioria, mas não pra mim. Com um pré-aquecimento de algumas long necks, uma batida de coisa que juntas deu um sabor perfeito a bebida, mas o momento vodka com três garrafas presentes, eu esperava ansioso a sua chegada.

Nos distraímos com a queima de fogos, cantamos, nos abraçamos, esquecemos de tudo, eu até esqueci do meu encontro marcado, nem lembrava mais. Paramos por um momento e terminamos de ver a queima de fogos, pensando no ano que passou e no ano que vai passar. Cada um em seu mundo silencioso.

Nos infiltramos em meio a multidão logo após a queima de fogos, éramos os reis nesse dia. Era um dia que eu não percebi ninguém a minha volta, eu tinha um foco que não saia da minha cabeça, eu tinha que ser memorável. O primeiro encontro do ano tem que significar alguma coisa.

O tempo passou correndo por mim, hesitei tateando o bolso e aliviado encontrei minha carteira. Suspirei e me peguei olhando pra céu escuro da noite de reveillon, me perguntando se ela viria mesmo, se viria acabar com a noite perfeita só por mim, só pela minha presença. A presença dela não era muito desejada entre os zumbis da noite de reveillon, cuja orla estava infestada.

A noite estava em seu fim e eu em algum momento nela me esqueci do meu encontro. Coisas me chamaram mais atenção do que a promessa dela de fazer dessa noite especial. Peitos me chamam a atenção. Não tenho e não quero ter culpa disso. Foi um acontecimento que me prendeu e me fez esquecer. Arrisco dizer que todos esqueceram, estavam todos curtindo sem preocupações, sem limites, sem esperar por nada inesperado.

Uma noite de reveillon em que a chuva furou comigo. Ainda assim foi especial.

@emanoelsimon

3 Comentários

Arquivado em Devaneios

Quando a ressaca se torna reflexão

Primeiro, como explicar esse titulo? Explicar um devaneio, uma idéia, uma teoria sem fundamentos, criada, pensada, enquanto eu lavava a louça… Não sei meus textos nunca seguem uma linha de raciocínio muito clara e gosto de ser assim, escrever, escrever, simplesmente escrever, o que da na cabeça, o que os meus dedos pedem… Se você não conseguir entender, parabéns, você já entendeu.

Quando a ressaca se torna uma reflexão? To be continued… Brinks.

Uma noite, um rock, uma balada, uma madrugada, gargalhadas impensadas, curtição desvairada, comentários, conversas jogados (as) fora, verdades ditas, mentiras escondidas, segredos revelados, o rock acabou. A balada terminou. A noite passou. A madrugada ficou, ficou na sua consciência, no seu ser, depois, quando você acordou, não ali, na hora, naquele momento. Ressaca de idéias, ressaca de pensamentos, uma ressaca de reflexão, procurando porquês, respostas, teorias, que possam explicar o que aconteceu, mas o que aconteceu? Você lembra? Você tem sorte de lembrar!

Entendeu? Eu também não.

Continua nos próximos capítulos.

By: @_jotinha

7 Comentários

Arquivado em Devaneios